sexta-feira, 10 de outubro de 2014

"EIS QUE ESTOU CONVOSCO TODOS OS DIAS

ATÉ À CONSUMAÇÃO DOS SÉCULOS." - Mateus 28. 20    

Muitos cristãos que passaram por profundas tribulações relataram depois o que vivenciaram. Quado lhes parecia que o próprio chão iria afundar, Deus permaneceu com eles, esse Deus que nunca muda e que nada pode afastar de nós. Isso é o poder da "grande Presença".
Certo mártir cristão estava amarrada sobre uma roda, sendo torturado impiedosamente. A certa altura, com a mente ainda lúcida e os olhos bem abertos, viu a seu lado um Homem.  - que ainda não tinha cinquenta anos - que estava enxugando o seu suor. 
Ele está conosco quando o fogo é mais intenso. "E o aspecto do quarto é semelhante  a um filho dos deuses." (Daniel 3.25) "Quem está perto de mim, está perto do fogo." É por isso que o lugar em que nossa alma experimenta a paz mais profunda é o centro da fornalha divina. Quando passamos pelo fogo, sempre há Alguém junto de nós.
A esposa de John G. Paton, que trabalhou nas ilhas dos mares do sul, morreu no campo missionário. O próprio marido teve de fazer o caixão, cavar o túmulo e sepultá-la. E o povo do lugar ficou a observá-lo durante  todo o processo. Nunca tinham visto ninguém agir dessa maneira. Ele ficou parado uns instantes à beira da sepultura. Em seguida, jogou terra sobre a cova e depois foi embora. Mais tarde, ele iria dizer: "Se não fosse por Jesus e pela Sua Presença que veio estar ali comigo, eu teria enlouquecido e caído morto ao lado daquele túmulo."
John G. Paton sentiu a Presença do Senhor em seu momento de densas trevas.
Sir Ernest Schacklelon  e dois companheiros passaram trinta e seis horas vagando pelas montanhas nevadas da Nova Georgia, no Canadá, à procura de um posto de salvamento. Estavam em busca de socorro para eles e seus companheiros que haviam permanecido na Ilha Elefante. Mais tarde, escrevendo sobre essa viagem, ele comentou o seguinte: Muitas vezes, tive a nítida sensação que de que não éramos nós três, mas havia uma pessoa a mais."
Ele se referia a uma Presença que estava com eles e os conduzia. Encerrando seu relato, ele diz: "A narrativa da nossa viagem ficaria incompleta se não mencionasse essa questão que foi tão preciosa para nós."
O apóstolo Paulo não foi o único privilegiado que avistou o Senhor vivo, na estrada de Damasco. 
Kahlil Gibran, o pintor sírio, explicando o notável retrato de Jesus que pintara, disse: "Ontem a noite, vi o rosto dele de novo. E estava ainda mais nitido do que quando o vira antes.
Handel, o compositor famoso coral Aleluia, declarou Eu vi Deus em seu trono.
Durante as terriveis afli oes dos anos da guerra, muitos combatentes afirmaram com comviccao que tinham avistado O Companheiro vestido de branco.
Phillips Brooks deu o seguinte testemunho
Ele esta aqui. Eu o conhe o. Ele me conhece. E isso n'ao [e uma figura de linguagem.
E o fato mais real do mundo.

(Mananciais no Deserto) 10.10.14    (22.44)


sábado, 4 de outubro de 2014

"Porque sei em quem tenho crido" (2 Timóteo 1.12)

Deus gosta muito de que tenhamos NELE UMA CONFIANÇA PLENA. E isso constitui o traço mais sublime da personalidade de um verdadeiro crente. É a base do caráter cristão.
Existe algo que nos agrade mais do que o fato de alguém confiar totalmente em nós? Não há sensação melhor do que ver uma criancinha  nos olhar diretamente no rosto, estender a mãozinha para segurar na nossa e se aproximar com toda confiança. E assim como Deus é infinitamente superior a nós, na mesma proporção, ele gosta que confiemos nele.
Irmão, o Senhor Jesus está com a mão estendida para você, aquela mão que tem um ferimento de pregos. Então estenda sua mão da fé e  segure na dele, pois "sem fé" é impossível agradar a Deus.  (Henry Van Dyke)

Ergamos o braço até onde alcançarmos, e Deus estenderá o dele, completando o que falta para os dois se encontrarem.  ( Bispo Vicent)

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

REPOUSANDO EM DEUS.

Lendo um devocional hoje sobre "repousar" ( Salmo 23.2) pensei em toda uma vida em Deus. Desde quando você se "reconcilia" com o Pai, por meio do Nosso Senhor Jesus Cristo (por meio do seu sangue).
Tudo é um propósito. E tudo tem um tempo determinando. E basta estarmos atentos para o seu agir. (e nem sempre estamos atentos... Ou estamos atentos demais... E acabamos também perdendo o foco... A visão... O propósito... )
Repousar em pastos verdejantes é uma verdadeira entrega de paz e confiança absoluta na "vontade" dele. É Obedecer sem ousar contrariar... 
Hoje comprei um novo livro (de tantos livros que tenho em mãos...) em que a autora escreve que desde os seus dezesseis anos quando O aceitou ela sempre obedeceu, mesmo não entendendo... Ou que não tivesse vontade... Sempre via como "ordem absoluta". (Palavras minhas).
Estou tem tempo em uma vida com Deus. Mas nunca em totalidade. Estou sempre vivendo alguns ciclos viciosos por causa da "enfermidade". E parece que estou sempre pelejando com Deus. Não é preciso dizer que estou sempre em desvantagens (falo assim porque Deus é tão misericordioso e paciente comigo que deixa eu pensar assim... Ele espera com longanimidade pela minha "entrega no repousar". 
Disse hoje para minha irmã que deve ser diferente com esses renomados crentes... Ela me respondeu que não. Simplesmente se entregaram na busca completa. E falou de nossa mãezinha... A vida separada que ela tinha... Vivia em completa santidade... Separada em oração. Meditando na Palavra. Mergulhou profundo na intercessão. Uma verdade. 
Então... Me senti como aquele jovem "Eutico" que estava na janela... E caiu... Quando Paulo pregava o Evangelho...
Rimos... Naturalmente que ela me disse que nem pensar em me comparar com aquele jovem... Talvez não agora... Mas já houve sim um olhar para longe... Desviando do propósito... E foi uma queda terrível. 
Tudo isso é uma vida com Deus. Não que fizesse parte da minha história. Afinal de contas cada um de nós tem o livre arbítrio... Cabe a nós fazermos nossas escolhas... E independente do que escolhermos... Com certeza virão os "resultados...", ou melhor, "as consequências" das mesmas. A Bíblia fala claramente sobre isso. 
Tudo a Bíblia fala. Tudo. 
E nem sempre "repousamos" nessa vida maravilhosa com Deus. E sofremos tanto e muitas vezes desnecessariamente... E perdemos tanto... Quase tudo... E se não estivermos conscientes das "verdades" contidas no princípio da Sua Palavra acabamos nos perdendo e perdendo tudo. E para se "arrepender" verdadeiramente nos custa um preço muito maior. 
Hoje quero repousar verdadeiramente em Deus. E estou tão e completamente desgastada que parece que "repousar" vou perder mais do que ganhar. Eu é que tenho pressa. Necessidade de "sentir" a alegria da salvação. 
Amanhã será um grande divisor de águas para minha história com Deus voltar a ser plena. Sei que Deus está presente. Que Ele não tem mudança nem sombra de variações... Ele permanece. É eterno. Então o "repousar" está em mim. Verdadeiramente! Em Nome de Jesus. 

02.10.14      (20.51)

quinta-feira, 24 de abril de 2014

SACRÍFICIO VIVO.

Romanos 12.1 "Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional."
 
Devemos nos apresentar a Deus como sacrifício, ELE DEVE SER VIVO, SANTO E AGRADÁVEL A DEUS.
 
1. TER VIDA VERDADEIRA.(a) Não viver em uma mentira, ser sincero, depender de Deus e reconhecer que somos fracos, mas somos fortes com ele. ( Jl 3.10 "Forjem os seus arados, fazendo deles espadas; e de suas foices façam lanças. Diga o fraco: SOU UM GUERREIRO. (FORTE).
 
(b) SER ATIVO. Não depender das circunstâncias, mas viver a vida plena de Deus. Ter iniciativa e boa vontade, mesmo nos problemas. Não deixar a vida nos levar, mas devemos levar nossa vida na vontade de Deus.
 
(c) SER ABENÇOADO. É ser favorecido por Deus, ou seja, Deus está ao nosso favor e não contra.
 
2. SANTO.
É ser separado para Deus, não se contaminar com este mundo. (sistema)
 
3. AGRADÁVEL. "Os sacrifícios que agradam a Deus são  um espírito quebrantado; um coração contrito, ó Deus, não desprezarás." Salmo 51. 17
 
Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito aquebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus.
 
Louvado Seja o Nome do Nosso Senhor Jesus Cristo.
 
24. 04. 14     (00.15)

sexta-feira, 21 de março de 2014

DEVOCIONAL

" Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus." - Gl 6.17 -
 
 
Será que nós também trazemos no corpo  alguma marca de ferida? Será que não estamos procurando enfrentar o inimigo apenas nos "lugares" em que nos achamos mais protegidos, enquanto outros lutam com ele num combate "corpo a corpo"? Será que não estamos fazendo algumas concessões e, dessa forma, deixando de conquistar os troféus que deveríamos ganhar na batalha espiritual? AINDA NÃO NOS LIVRAMOS DESSAS CONTEMPORIZAÇÕES? Algum dia nos encontraremos com o Senhor face a face. Então veremos as marcas dos cravos em suas mãos. Será que não ficaremos envergonhados, por não apresentarmos nenhuma cicatriz  de guerra? - Extraído de Daily Commnion  (Comunhão diária)
 
 
Filho, não trazes marcas?
Não tens nos pés, nas mãos ou no lado nenhuma cicatriz?
Ouço dizerem de ti que és poderoso na Terra.
Ouço decantarem tua reluzente estrela.
Não tens nenhuma cicatriz?
 
Não tens ferida?
No entanto, eu fui ferido por arqueiros, e moído.
Entreguei-me a um madeiro para morrer. Rasgado.
Fui cercado por lobos vorazes e desmaiei.
Não tens ferida?
 
Nem ferida, nem cicatriz?
Entretanto o servo deve ser com seu Senhor.
Os pés de quem me segue devem ser transpassados.
Os teus pés não estão. Será que aquele que não tem feridas
Me seguiu de fato?  
  (A.W.C.)
 
Nosso caminho não passa só pela Terra "Desposada".
 
Certa vez, Garibaldi, o grande conquistador italiano que viveu no século XIX, fez um discurso para milhares de jovens seus compatriotas. Nele, conclamou-os para lutar pela libertação   de sua pátria. Posteriormente, um rapaz que se achava um tanto indeciso, aproximou-se dele e indagou: - Senhor, se eu for lutar, o que eu vou ganhar com isso?
Prontamente, rápido como um relâmpago, sem nenhuma concessão, Garibaldi respondeu: - Ferimentos, cicatrizes, dores e talvez a morte. Lembre-se, porém, de que, com suas dores, a Itália será liberta.
Será que estamos dispostos a sofrer dores para que almas sejam libertas?
 
O CAMINHO MAIS DIFÍCIL PARA SE SUBIR UMA MONTANHA É AQUELE QUE VAI DIRETO AO ALTO DELA.


segunda-feira, 17 de março de 2014

"VINDE A MIM, TODOS OS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREDOS

E EU VOU ALIVIAREI."  - Mateus 11. 28 -
 
 
Porque será que a atitude mais fácil da vida cristã acaba sendo a mais difícil? Será que alguém preferiria acender uma vela, quando tem um interruptor bem ao seu alcance para ligara luz? Claro que não! Não somos tão tolos assim!  Só agimos de forma insensata numa situação; em relação a Deus. Parece que a maioria dos crentes, em sua vida espiritual, contenta-se em ficar lutando com os primitivos elementos da fraca natureza humana, sendo que têm o dispor todo o infinito poder de Deus. O amor de Deus Pai, que abrange tudo, já providenciou plenos recursos para toda e qualquer situação da natureza humana, para todas as circunstâncias da vida. No entanto, a grande maioria de seus filhos vão seguindo pela estrada da vida, lutando, levando fardos que Deus está desejoso de  carregar. E ele insta conosco para que o entreguemos em suas mãos, mas não o fazemos. Por que será?
 
Falar com Deus, mantes uma conversa com Jesus, DEVERIA SER UMA PRÁTICA MUITO SIMPLES, EMPOLGANTE E INTERESSANTE PARA NÓS.
 
Entretanto, por mais estranho que pareça, a oração é o ministério cristão que os crentes mais negligenciam. Das disciplinas espirituais, ela é a que os crentes praticam mais apressadamente, de maneira formal, e, muitas vezes, até mesmo o omitem. Por que será?
É possível que a dificuldade toda esteja no fato de que orar é uma atividade muito fácil, totalmente simples. É fácil nos ajoelharmos ao lado da cama, com uma confiança plena, como a de uma criança, e com uma fé que nada questiona, entregar ao Pai nossas preocupações, nossos fardos e nossos problemas. Como isso é simples, um gesto típico de uma criança. No entanto, como é difícil! Como é difícil relaxar, tirar uma hora, ou mesmo meia, de nossa vida cheia, agitada e corrida, para entrar tranquilamente em um quarto, fechar a porta e ficar em silêncio na presença dele! Como é difícil remoermos nossa sofisticação, nosso egocentrismo, nossas constante preocupação com nós mesmos, nossa permanente sensação de que temos de assumir nossos problemas e preocupações, e de resolvê-los! Como é difícil ser criança  e, com um profundo suspiro de satisfação, nos acomodar despreocupadamente aos pés dele, na perfeita certeza de que ele se interessa por nós, de que o "O GOVERNO ESTÁ SOBRE OS SEUS OMBROS."!  (A. Stuart M'Nairm)
 
 
17. 03. 14  (19.55)